XIX Feira de Ascensão (Vladimiro de Matos)

XIX Feira de Ascensão (Vladimiro de Matos)

01/06/2000 0 Por hernani

XIX Feira da Ascensão

A Feira da Ascensão é o principal certame socioeconómico do concelho de Alenquer. Se por um lado achamos que é importante, por outro lado achamos que seria bom que fosse melhorado. As coisas não podem estagnar, e infelizmente a Feira da Ascensão tem estagnado. Digamos que a Câmara tem investido pouco na Feira da Ascensão.

Senão vejamos. É necessário levá-la ao maior número de empresários. É uma feira de actividades e potências económicas do concelho, onde deve estar representado o grande espectro da actividade económica do concelho, quer no sector primário, secundário e terciário, isto é, comércio, indústria e serviços.

Contudo, há muitas empresas que deveriam lá estar e não estão, e penso que a Câmara, ao longo dos anos, não tem criado espaços novos para que essas empresas possam localizar os seus stands. Há uma grande área externa, de céu aberto, que normalmente é ocupada com veículos e tractores. De acordo que lá devem estar representados; o que não podem é ocupar a maioria do espaço, como tem acontecido até aqui, porque se formos a ver a percentagem de negócios que se faz no Concelho de Alenquer, em termos de comércio automóvel, é muito baixa.

O nosso concelho é, potencialmente, um concelho vitivinícola. Na feira este sector está representado por duas adegas que fazem questão de estar lá todos os anos. Contudo, não há uma prova de vinhos, e temos o exemplo da Feira do Vinho e do Cavalo onde também ai não existe prova de vinhos. Continua a ser um parâmetro pobre, não há uma amostragem de vinhos, nem sequer existe um concurso de vinhos.

Esta falta de incentivo deve-se a duas coisas: por um lado a Câmara, que centraliza tudo em seu redor, em termos de organização da feira, deveria tornar mais abrangente a comissão organizadora, por exemplo à ACICA (associação empresarial do concelho). Há aqui uma dessincronização entre as pessoas. A AVA (Associação de Viticultores do Concelho de Alenquer) colabora, mas não está representada.

A Câmara quer açambarcar tudo, e depois não sabe, ou não consegue, chegar a todo lado. E a Feira da Ascensão não pode ser apenas uma mostra de todas as suas potencialidades. Todos os grandes certames têm atracções. Para trazer gente a Alenquer, terá de dar-se alguma coisa em troca, nem que seja um rebuçado, e na feira esse rebuçado, digamos, que é a parte lúdica, a parte chamativa, por exemplo fazer um bom espectáculo. Normalmente são bandas e ranchos. Sem estar contra os ranchos e bandas, acho que devem actuar em dias diferentes, e os outros dias devem ser preenchidos por outros espectáculos. Assim, como forma de atractivo, a Câmara devia chamar à feira bandas ou artistas de cartaz. É isso que arrasta pessoas aos locais.

Penso que há empresários que não têm vindo, por negligência deles ou porque a câmara não os tem mobilizado, e também não tem criado espaço para eles. Tudo tem o seu espaço, e os sectores que precisem de alargar os espaços deveriam ser tomados em conta. Penso que a feira chegou a um ponto de estagnação, e isto é muito mau porque dificulta o desenvolvimento. Há que evoluir.

VER TAMBÉM:

XIX Feira da Ascensão: O grande desafio 

XIX Feira da Ascensão (Memorial) 
XIX Feira da Ascensão (Aclividade Económica)
Feira da Ascensão (Um relance histórico de Alenquer)
XIX Feira da Ascensão (Álvaro Pedro, Presidente da Câmara Municipal de Alenquer)
XIX Feira da Ascensão (Luís Rema, Vereador das Feiras da Câmara Municipal de Alenquer)
XIX Feira da Ascensão (Vladimiro de Matos, Presidente da Direcção da ACICA) – VOCÊ ESTÁ AQUI

 

 

©Vladimiro de Matos (2000)
Presidente da direcção da ACICA
in Jornal D’Alenquer, 1 de Junho de 2000, p. 26

 

  Olá, muito obrigado por visitar este espaço.

Espero que a sua leitura tenha sido do seu agrado.

Se for o caso de nos deixar agora, desejamos que volte muito em breve.

Até lá… e não demore muito.